1 de outubro de 2012

Confere

Ler no 28 ou na A5 não tem o mesmo encanto do que ler no comboio.

7 comentários:

J disse...

Então se for no autocarro que faz Ericeira/Lisboa e demora 2h a chegar ao destino, o encanto transforma-se numa espécie de vómito. Desculpa lá a frontalidade, mas ler em transportes públicos é algo que não me assiste e isso entristece-me ao mesmo tempo que me revolta porque normalmente vou a bater com a cabeça no vidro do autocarro porque não há mais nada de útil para fazer sem ser dormir ao mesmo tempo que se houve música.
Pronto, já desabafei :p

Ricardo disse...

Ahah, belo desabafo.

É tão bom ler no comboio, apenas e só no comboio, no avião não porque custa-me a ler enquanto choro de medo ahahahahah :P

J disse...

ouve*

Nos primeiros anos de faculdade também só andava de comboio (apesar de serem só 5 min), e confesso que é o único transporte público no qual consigo ler. Por isso vou concordar contigo :p

Ana 100 Sentidos disse...

Tu apanhas o 28? Fazes portanto o meu percurso...
Vais de minha casa (Campo de Ourique) ou Chiado (aposto!).

Ricardo disse...

Ana, a tua capacidade de adivinhação anda em baixo, o meu percurso (e que é coisa de recurso, que eu sou mais pessoa de comboio...) tende para zonas ribeirinhas, percursos relativamente curtos, entre os pastéis, quanto muito, e o cais, o resto vai-se a pé que Lisboa só faz bem é a pé.

Ana 100 Sentidos disse...

E eu a jurar que tu eras um daqueles livreiros giros, giros que trabalham na Bertrand do Chiado!

Ricardo disse...

Ahahaha, não, não, isso não confere que eu não sou livreiro :P