5 de novembro de 2014

.34

Não deixa de ser irónico que os trinta e três anos, com todas as piadas da idade de Cristo, tenham sido um calvário e o ano de uma crucificação. Mais do que reflectir sobre questões existenciais ou erros passados, acho que tenho de me sentir eternamente agradecido às pessoas que se mantiveram do meu lado. Não sou uma pessoa fácil quando estou bem. Em estando mal, torno-me insuportável. No entanto, há pessoas que, ainda assim, vão ficando e partilhando os momentos de felicidade e infelicidade. Portanto, hoje, no dia cinco de novembro de dois mil e catorze, aos trinta e quatro anos, sou uma pessoa grata pelas pessoas que se vão mantendo ao meu lado. Espero que sejam, um dia, de alguma forma, compensadas por todas as chatices que eu vou dando. E pelo chato que vou sendo. Eu é que faço anos, mas é a Xana que está de parabéns: sem ela não estaria de pé, hoje. E mais do que estar de pé, estou a caminho de coisas boas e cheias de livros. Alguns deles do Chagas Freitas, até. Uma pessoa tem de fazer pela vida, tenham paciência.

8 comentários:

Silent Man disse...

Então parabéns pá! :)

Um grande dia!

disse...

Quem aguenta um escorpião, aguenta tudo! ;)
Parabéns. Bom ano!
[Parabéns também pra Xana.]

gata disse...

Parabéns :)

Pólo Norte disse...

Feliz Ano Novo. :)

(PCF? Antes cagar os dois pés até ao pescoço...)

macaca grava-por-cima disse...

Parabéns! com tudo de bom e com livros do PCF, se assim tiver mesmo que ser...

A Mais Picante disse...

Um abraço.
(a si, não ao Chagas)

E.M. Valmonte disse...

Muitos Parabéns.

Té Lima Pires disse...

Parabéns à Xana então e feliz aniversário para o Ricardo!