18 de outubro de 2012

Anda qualquer coisa no ar, só pode

Uma pessoa conhecida minha, no meio da chuvada de ontem, parou o seu caminho para dar o seu chapéu de chuva ao mendigo que estava na porta da igreja por onde passa todos os dias, e hoje, ao tossir no comboio, a senhora que estava ao meu lado ofereceu-me pastilhas para a tosse. Acho que vou ficar com medo de andar na rua.

2 comentários:

Ana 100 Sentidos disse...

Isso é bom.
Sinal dos tempos e de estamos mais conscientes dos outros.

Ricardo disse...

Esperemos que sim.