11 de julho de 2012

This is the end

Frases que um livreiro e duas livreiras conseguem dizer a meio de uma conversa durante a pausa do almoço, ao meu lado, enquanto eu trabalhava:
- o meu peixe suicidou-se.
- não, porque o canário matou a canária, mas depois viveu o resto da vida deprimido.
- os dentes da coelha cresceram demasiado, era deformada, então espetaram-se na parte de cima da boca e a minha tia só reparou quando ela começou a espumar pus pelos olhos e morreu.
- a coisa mais nojenta que já tocou em mim foi a asa de uma borboleta. É mole e peçonhenta.
- o cão anda num psicólogo, acham que está deprimido.
- o papagaio enforcou-se, mas acho que foi acidental. Acho.
Eu disse enquanto trabalhava? Eu queria dizer enquanto eu tentava trabalhar. Não é possível.

5 comentários:

ana disse...

O meu canário (que Deus tem) também matou a respectiva. Depenou-a até à morte.

Ninguém merece ser depenado até à morte.

J disse...

Imagino as duas livreiras a falarem super sérias sobre isto e tu a trabalhares no computador sem de lá tirares os olhos... Diz que me acertei!

Ricardo disse...

Ana, há umas canárias que até merecem ser depenadas.

J, foi mais ou menos isso, eu de vez em quando olhava para elas com um ar incrédulo e sem reacção. É que elas dizem estas coisas com o ar mais sério do mundo.

São João disse...

E trabares enquanto ouves:
"- Já acabastes o banner? Hádes ver aquele site que eu te mandei. É muita bom ao nível da criatividade."

Mas sim, pagam-me um ordenado condigno a tempo e horas. Acho que hoje em dia é considerado luxo.

Ricardo disse...

E então, fostes ver e era muita bom? =P

Isso é um luxo é. Um dia também quero dizer que o meu é condigno.